sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Missa da Quarta-feira de Cinzas: "Misericórdia, ó Senhor, misericórdia" (Sl 50)


"Em nome de Cristo vos rogamos: reconciliai-vos com Deus!" (2Cor 5,20)

Na celebração da Quarta-feira de Cinzas (25/02/2009) percebi alguns aspectos que para muitos passaram despercebidos talvez simplesmente desconhecerem (a exceção seriam aqueles que se interessam por Liturgia e pelo significado dos gestos e ritos da Santa Missa). Mais uma vez, a missa me comove e me impressiona, pois, através da participação ativa (tão desejada pelo Concílio Vaticano II) a alma é imbuída dos sentimentos e desejos propícios aquilo que a Igreja celebra, em outras palavras, se participamos verdadeiramente compreendemos e vivenciamos de forma plena (tanto durante como após a Missa) aquilo que se está celebrando.

Pois bem, neste pequeno texto tentarei transmitir o que aconteceu comigo naquela celebração.


"Concedei-nos, ó Deus todo-poderoso, iniciar com este dia de jejum o tempo da Quaresma, para que a penitência nos fortaleça no combate contra o espírito do mal. Por Nosso Senhor Jesus Cristo."

De forma alguma eu me recordava de que a Missa da Quarta-feira de Cinzas não possui Ato Penitencial e que as cinzas eram distribuídas no lugar da Profissão de Fé (acredito que isso se deve ao fato de eu estar afastado da organização das cerimônias há quase 3 anos) mas, logo, que a missa começou o padre avisou que isso ocorreria e após a saudação rezou a oração da coleta. Surgiu em mim inquietação, dúvida... por que essa mudança? por que as cinzas no lugar desses dois momentos?

É certo que estou em processo de conversão e amadurecimento da minha fé devido a estar praticando os Exercícios Espirituais de Santo Inácio, desse modo a dinâmica da percepção do pecado, do arrependimento e da vontade de reformar a vida já se encontram presentes em mim. A Liturgia da Palavra me levou a retomar essa reflexão da minha própria vida, ou melhor, colaborou e fomentou ainda mais a vontade de ser melhor dando até mesmo pistas do que fazer (em Mt 6,1-6.16-18). Confesso que alguns textos que li dias antes da missa me ajudaram a refletir durante a mesma. Percebe-se então, a importância da preparação para a vivência dos tempos litúrgicos e mesmo para a participação nas missas. Esses textos serão postados no blog no decorrer deste fim de semana.


"Agora é o tempo favorável, agora é o dia da salvação." (2Cor 6,2)

Então, recebi as cinzas na testa com o coração contrito e confiante de que Deus queria me perdoar dos meus pecados mas ainda que eram necessários uma confissão e uma ação concreta para corrigir todo o mal que causei a mim e a outrem. Apenas ao retornar ao meu lugar, percebi o que havia acontecido. Fiz o Ato Penitencial e a Profissão de Fé ao mesmo tempo!!! Que maravilha, que esplêndido, que Beleza!

Nesse momento, entendi o significado profundo das cinzas. Elas são o sinal do nosso Batismo, do nosso arrependimento, são o sinal visível de um selo "espiritual indelével de nossa pertença a Deus", afinal, quando elas nos são impostas é traçado o sinal da cruz e dito: "Lembra-te que do viestes e ao , hás de retornar" ou ainda "Convertei-vos e credes no Evangelho".

"Senhor, que não desejais a morte do pecador, mas que se converta, olhai benigno para a fragilidade da natureza humana e dignai-Vos abençoar estas cinzas que vão ser colocadas sobre as nossas cabeças em sinal de humildade e esperança de perdão, para que reconhecendo que somos cinza e que em castigo da nossa maldade nos havemos de tornar em pó, mereçamos alcançar o perdão dos nossos pecados e o prêmio que prometestes aos que fazem penitência.Por Nosso Senhor Jesus Cristo."



PS: Todas as citações em itálico foram extraídas dos textos da Missa de Cinzas.

Nenhum comentário: