terça-feira, 15 de janeiro de 2008

um pouco de compaixão

Havia uma jovem mulher, ela tinha algum tipo de deficiência nas pernas e, por isso, andava mancando. Ela vinha pela outra margem da rua e fez menção de que queria atravessar mas vinham muitos carros, era uma avenida muito movimentada. Imediatamente um rapaz que estava no ponto de ônibus foi ajudá-la, para isso ele fez sinal para que os carros parassem e se pôs a ajudar a moça a atravessar a rua. Foi uma cena muito rápida mas, foi tempo o suficiente para me fazer refletir.

É muito fácil falar sobre justiça social, sobre misericórdia, sobre auxílio aos necessitados, sobre os marginalizados e para alguns é mais fácil ainda nem esquecer esses "temas". Se todos os que se dizem cristãos estivessem verdadeiramente comprometidos com a Boa Nova de Cristo e com o Reino de Deus seriam sensíveis às injustiças e às dificuldades dos irmãos, se todos fossem solícitos a ponto de se incomodar e deixar o que está fazendo para ajudar o próximo o mundo seria um lugar muito melhor. São gestos simples como o desse jovem que realmente fazem a diferença,

Esse rapaz pode até nem ser cristão, pode ser mais um samaritano (como aquele da parábola de Jesus) que se dignou a ajudar outro em dificuldades. Foi uma atitude que qualquer um ali naquele ponto de ônibus e outras pessoas em outros lugares poderia ter mas ninguém o faz. Por que será? Será que estão todos tão mergulhados em seu egoísmo, seu orgulho, sua indiferença que não conseguem ser mais "humanos"? Até onde a nossa sociedade vai com a sua loucura desenfreada pelo tempo, pelo dinheiro e pelo prazer pessoal?

Pensem meus amigos, reflitam sobre as suas vidas, o seu modo de agir... será que você não teria pelo menos um dia no mês para visitar aquela senhora esquecida em um asilo, aquela criança sem ninguém num orfanato, aquele pobre doente no abrigo?

um abraço a todos.

Nenhum comentário: