quinta-feira, 16 de agosto de 2007

abusos na liturgia

É impressionante como a maioria dos leigos que ajudam nos grupos de música ou na pastoral da litúrgia não se importa como a Santa Missa é celebrada.

É Gloria in Excelsis com uma música com a letra incompleta, é Ato Penitencial meloso... é "canto de comunhão" que não tem nada haver com o momento da comunhão... Pai-Nosso com letra adulterada...

É muito triste essa situação. Onde as pessoas vão pra Missa querendo fazer algo que lhes agrada quando na verdade deve agradar somente a Deus. Já vi invenções de todo tipo durante as missas (e sempre conseguem de superar). Meu coração fica partido quando vejo que as pessoas não se importam com o modo correto de celebramos a Eucharistia, que é simplesmente o modo como Deus nos ordenou.

Em muitas paróquias vemos pessoas que inventam coisas e degeneram a Liturgia dessa maneira. Achando que tudo pode ser movido pela criatividade pela inovação... puro engano fruto de um aprendizado errado (que pode ter sido introduzido por qualquer um menos por Deus).

Vejo em muitas comunidades usarem aquele chamado "Pai-Nosso no padre Marcelo Rossi" que nos transmite conceitos errados e adultera a oração que Nosso Senhor nos ensinou.


Oração do Pai-Nosso

Pai nosso que estais no Céu, santificado seja o Vosso Nome,
venha a nós o Vosso reino, seja feita a Vossa vontade,
assim na terra como no Céu.

O pão nosso de cada dia nos dai hoje;
perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido,
e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal. Amém.



Vejamos a Letra da música gravada pelo padre:

"Pai nosso que estás no céu, santificado seja o teu nome
E venha a nós o teu reino, e seja feita a tua vontade

Pai, meu pai do céu, meu pai do céu
Eu quase me esqueci, me esqueci
Que o teu amor vela por mim, vela por mim
Que seja feito assim

Meu pai, meu pai do céu...

O alimento desse dia dai nos agora e sempre
E perdoai nossas ofensas de um modo maior com que perdoamos

Pai, meu pai do céu...

E não nos deixeis cair em tentação mas livra-nos de todo o mal, amém"


Vou deixar que vocês mesmos analisem por conta própria... Mas eu grifei algumas coisas gritantes (além da modificação da letra da oração pra se adequar à melodia proposta pelos músicos podemos perceber que algumas coisas mudaram de sentido completamente, de oração sóbria e completa, passou a emotiva e errônea em alguns pontos).

Esse é só um exemplo... ainda tem o Glória in Excelsis que as pessoas teimam em afirmar que "se tiver as três pessoas da Trindade já serve". Sinceramente, e onde fica a parte da oração que fala sobre a Paz na Terra? que louva, bendiz, glorifica, dá graças...?


E os Atos penitenciais melosos? Simplesmente esqueceram da obrigatoriedade da fórmula Kyrie, Eleison! após um ato penitencial que não a tenha!

Meu Deus! Ajude-nos a ser melhores e te adorar da forma que lhe é devida! Ajude-nos a ter um coração humilde, livre-nos do egoísmo de querer coisas que mexam apenas com nossos sentimentos, fazendo com o que verdadeiro culto a Vós seja substituído por um mero encontro de pessoas.


Dominus Vobiscum.

2 comentários:

Júnio disse...

Infelizmente na Paróquia Cristo Libertador abusos na liturgia são comuns...

Luis Piovani disse...

Caro irmão Gabriel.
Aqui em Araraquara eu também luto por uma correta celebração da Santa Missa inclusive através do meu site www.luispiovani.com.br
Fique a vontade para divulgar, opinar e criticar.
Grato.
Abraço fraterno.